01 de setembro – UTP – 8h30

SESSÃO CINEMATOGRÁFICA: 

PARA MINHA AMADA MORTA (Aly Muritiba; 2015)

SINOPSE

Após a perda de sua esposa Ana, Fernando se tornou um homem quieto e introspectivo que cuida de seu filho Daniel. Toda noite, enquanto o garoto dorme, ele relembra de sua esposa organizando seus pertences pessoais. Certo dia, Fernando descobre uma fita que mudará sua vida.

 

FICHA TÉCNICA

Elenco / Fernando Alves Pinto, Giuly Biancato, Lourinelson Vladimir, Mayana Neiva, Vinicius Sabag

Roteiro / Aly Muritiba

Direção / Aly Muritiba

Produção / Aly Muritiba, Antônio Junior, Marisa Merlo

Produção executiva / Antônio Junior

Direção de fotografia: Pablo Baião

Direção de arte / Monica Palazzo

Figurino / Ana Deliberador

Montagem / João Menna Barreto

Som direto / Alexandre Rogoski

Desenho de som / Alexandre Rogoski

PRÊMIOS

Festival des Film du Monde de Montreal (Canadá) - Zenith de Prata (Melhor filme na mostra New Directors);

48º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro - Melhor Filme da Crítica (ABRACINE);

48º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro - Melhor Direção - Aly Muritiba;

48º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro - Melhor Ator Coadjuvante - Lourinelson Vladmir;

48º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro - Melhor Atriz Coadjuvante - Giuly Biancato;

48º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro - Melhor Fotografia - Pablo Baião;

48º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro - Melhor Direção de Arte - Monica Palazzo;

48º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro - Melhor Montagem - João Menna Barreto;

Festival Internacional de Cinema da Fronteira (Brasil) - Melhor Direção de Arte - Monica Palazzo;

19º Festival de Cinema Luso-brasileiro de Santa Maria da Feira (Portugal - Melhor Ator - Fernando Alves Pinto;

19º Festival de Cinema Luso-brasileiro de Santa Maria da Feira (Portugal) - Prêmio Especial do Juri;

10º FestCine Aruanda (Brasil) - Melhor Direção - Aly Muritiba;

10º FestCine Aruanda (Brasil) - Melhor Roteiro - Aly Muritiba;

11º Panorama Coisa de Cinema (Brasil) - Melhor Longa pelo Júri Jovem;

39º Festival Guarnicê de Cinema (Brasil) - Melhor Filme;

39º Festival Guarnicê de Cinema (Brasil) - Melhor Ator (Fernando Alves Pinto);

39º Festival Guarnicê de Cinema (Brasil) - Melhor Atriz (Mayana Neiva);

39º Festival Guarnicê de Cinema (Brasil) -  Melhor Direção de Fotografia (Pablo Baião);

Festival de Cinema de Triunfo (Brasil) - Melhor Filme;

Festival de Cinema de Triunfo (Brasil) - Melhor Direção (Aly Muritiba);

Festival de Cinema de Triunfo (Brasil) - Melhor Roteiro (Aly Muritiba);

Festival de Cinema de Triunfo (Brasil) - Melhor Produção;

Festival de Cinema de Triunfo (Brasil) - Melhor Ator (Fernando Alves Pinto);

Festival de Cinema de Triunfo (Brasil) - Melhor Montagem (João Menna Barreto);

10º Cine Música - Festival de Cinema de Conservatória (Brasil) - Melhor Mixagem (Alexandre Rogoski).

Mostrar Mais
Mostrar Mais
Mostrar Mais

CONVERSA APÓS A EXIBIÇÃO DO FILME

Giuly Biancato 

Giuly Biancato nasceu em Curitiba, tem 19 anos, estuda e atua no teatro e no cinema desde os 5 anos de idade. Recebeu o Prêmio Candango de melhor atriz coadjuvante em 2015 por sua atuação no longa-metragem "Para Minha Amada Morta", de Aly Muritiba no Festival de Brasília do Cinema Brasileiro e foi indicada ao prêmio de melhor atriz no Festival de Cinema dos Sertões pelo longa-metragem "Gol a Gol" de Adriano Esturilho, em 2011. Atualmente está cursando Bacharelado Artes Cênicas na Universidade Estadual do Paraná.

 

Fábio Uchôa (Mediação) 

Possui Mestrado e Doutorado em Ciências da Comunicação, pela ECA/USP, realizados respectivamente com bolsas FAPESP e CAPES. Graduação em Ciências Sociais pela FFLCH/USP e Pós-Doutorado em Imagem e Som (PPGIS/UFSCar). Atualmente, é Professor Adjunto do PPGCom/UTP. Tem experiência nas áreas de comunicação, cinema , tratamento de acervos e sociologia urbana, atuando principalmente nos seguintes temas: cinema moderno, cinema experimental e, no contexto da produção audiovisual atual, a migração de procedimentos entre cinema, publicidade e séries de TV. É membro do Conselho Deliberativo da Sociedade Brasileira de Estudos de Cinema e Audiovisual (SOCINE). Pesquisa em curso: A vanguarda Letrista e o cinema de Maurice Lemaitre. É líder do grupo Cine&Arte (UTP) e pesquisador dos grupos História da Experimentação no Cinema e na Crítica (USP) e Cinemídia (UFSCar). 

Antônio Junior

Produtor do filme "Para minha amada morta". Formado em Relações Públicas (UEL), Cinema e Vídeo (FAP) e com especialização em Comunicação e Cultura (UTFPR), elabora, desenvolve e administra todos os projetos de cinema e TV da produtora Grafo Audiovisual. É diretor geral e de programação do Olhar de Cinema – FIC.

Contato